Anterior
Próximo

Para seu maior conforto, durante este período de pandemia, estamos atendendo via telemedicina.

Dra. Danielle de Faria Ferreira Lopes

CRM 5293623-5 | RQE 28844

– Título de Especialista em Clínica Médica pelo Conselho Regional de Medicina – Cremerj (RQE 28845)
– Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia pelo Conselho Regional de Medicina – Cremerj (RQE 28844)

Médica rotina da clínica médica e parecerista da endocrinologia do Hospital Norte D’or

– Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
– Residência Médica em Endocrinologia e Metabologia pelo Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE).
– Residência Médica em Clínica Médica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

A Clínica Médica

A Clínica Médica é uma especialidade que busca investigação e consequente diagnóstico e tratamento das doenças não cirúrgicas. Representa uma das matrizes da medicina, uma vez que engloba conteúdo das diversas especialidades clínicas.  

Além disso, atua em ações preventivas individuais, orientando medidas saudáveis e realizando exames preventivos de rotina. 

O que faz um endocrinologista?

O sistema endocrinológico é constituído  pelas glândulas, como tireoide, hipófise, testículos e ovários, e suas secreções são os chamados hormônios. 

Disfunções dessas glândulas refletem na produção destes hormônios e consequente distúrbios em nosso corpo.  

Os hormônios ativam e regulam atividades essenciais do nosso corpo. Zelar por seu bom funcionamento é o papel do seu endocrinologista. 

Quando procurar o

Recomenda-se que você busque um profissional de endocrinologia sempre que apresentar:

Veja alguns dos problemas mais comuns causados pela falta ou excesso de hormônios:

Diabetes

É uma doença crônica que afeta a forma como o corpo processa o açúcar do sangue (glicose). A absorção desta depende da presença de níveis sanguíneos adequados de insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas. Quando a glicose não é bem absorvida, elevando-se no sangue, chamamos de hiperglicemia. Os principais sintomas são sede, urina e fome excessivas, podendo ocorrer emagrecimento não explicado, infecções frequentes, turvação visual (visão embaçada), feridas que demoram a cicatrizar e formigamento nos pés.

Tireoide

A tireóide é uma glândula localizada na região anterior do pescoço e sua principal função é a produção dos hormônios responsáveis pela manutenção de diversas funções vitais do nosso organismo, como temperatura corporal, frequência cardíaca, massa corporal e fertilidade. Em casos de hiper ou hipofunção desta glândula podemos apresentar queda de cabelo, fragilidade das unhas, alteração do ritmo intestinal, alem de alterações do sono, humor e peso.

Obesidade

É o acúmulo de gordura no corpo que tem como causa fatores como um consumo excessivo de calorias na alimentação, sedentarismo, estresse emocional, fatores genéticos e alterações hormonais. A obesidade representa um risco para a saúde e está relacionado com o desenvolvimento de diversas doenças como a diabetes, hipertensão, dislipidemias, neoplasias, entre outros. Através do cálculo do IMC (Índice de massa corporal) e uma avaliação clínica personalizada podemos classificar o paciente e estabelecer o melhor tratamento.

Nódulos Tireoidianos

São alterações estruturais da glândula tireoide, que podem alterar ou não a sua produção hormonal. O diagnóstico é realizado através do exame clínico de palpação do pescoço em consulta médica, podendo ser complementado com exame de ultrassonografia da região. A depender das características encontradas individualmente do nódulo será planejado o ideal seguimento do caso.

Ovários Policísticos

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é um distúrbio hormonal que pode cursar com cistos e/ou aumento de volume do ovário, além de irregularidade menstrual e sintomas causados ​​por uma concentração elevada de hormônios masculinos (andrógenos), como excesso de pelos e acne. 

Osteoporose

Osteoporose é uma condição metabólica que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e aumento do risco de fraturas. Embora possa ser secundária a remédios e outras doenças, afeta principalmente as mulheres que estão na fase pós-menopausa e neste caso, a fragilidade é causada pela ausência do hormônio feminino, o estrogênio, que tornam os ossos porosos como uma esponja. É a maior causa de fraturas e quedas em idosos.

Outras doenças:

× Agendar Consulta por WhatsApp